Se desfazer de coisas…

Sempre tive dificuldade em me desfazer das coisas, principalmente objetos, quando mudei para França doei muitas roupas, sapatos, bolsas e pequenas outras coisas, tb joguei muita papelada fora e muita coisa ainda está guardado  com minha mãe, quando mudei de Nice para Orsay, tive que doar/vender/jogar fora, mas somente uma coisa me doeu o coração: meu elefante de pelúcia que comprei quando cheguei a França, até chorei, parece bobeira, mas era uma lembrança de quando cheguei e de vários outros momentos, mas bom, tive que deixá-lo…  Comecei a arrumar as malas e sempre tem algo para doar ou jogar fora e como é difícil se desfazer das coisas!!! O pior é que muita coisa eu nem uso e provavelmente nem vou mais usar… Roupa nem é tanto o problema, mas sim alguns objetos. Já arrumei 4 malas, 1 mala (grandona) e meia são só com “coisinhas” que compro em cada lugar que passo + alguns presentes, tudo fica guardado pq os apt’s que moramos são sempre pequenos e falta espaço para “expor” , as vezes tenho vontade de me desfazer de certas coisas , afinal não me chamam mais tanta atenção, mas kd coragem ?!

Você já teve que se desfazer de algo? Conseguiu sem problema ?

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

27 comentários a Se desfazer de coisas…

  1. Erika disse:

    Aiii Luuu, coragem…rs
    Realmente não é fácil se desfazer de algumas coisas…para mim já foi mais difícil, hoje em dia não tenho muita “dó” não de me desfazer de algo quando é necessário…afinal tudo é passageiro mesmo…rsrs

    Beijinhos e coragem com as malas…

  2. Andréa disse:

    Lu, eu doei todo o enxoval do meu filho.
    Fiz de coração, mas tem horas que eu lembro com saudades de alguma roupinhas que ele tinha.
    Agora só por fotos.

    Desejo tudo de bom para vc, nesse mudança…

  3. Nanci disse:

    Oiiii
    Nao é fácil se desfazer das coisas. Eu tb tenho esse probleminha….gosto de guardar tudo. Mas chega uma hora que a gente tem que tomar uma decisao e pensar no lado pratico das coisas, mas nao jogue fora algo que mora no seu coraçao, que tem valor sentimental e se for algo pequeno melhor ainda..
    Boa sorte
    Nanci

  4. Mári disse:

    Lu, tens ainda aquelas coisinhas do Porto? :)))) Imagina se aquele carrocho que te seguiu para todo lado fosse de madeira… :)))
    Bj!

    • Lu Francesa disse:

      Oi Mári querida, tenho sim,tudinho…rs…rs, está na minha mala vermelhinha, com todas as minhas coisinhas :)

      Beijocas,Lu.

  5. missbetterme disse:

    Também sofro dessa dificuldade, mas todos os anos vou eliminando “tralha”, afinal as memórias são sempre nossas e os objectos às vezes só atrapalham… É como diz a Oprah temos de :Live the simple life!

  6. Electra disse:

    Lú,
    Depois da última mudança de casa que fiz (março/2007), fiquei tão estressada com tanta coisa inútil!
    Não arrumei nada na casa antiga (os caras da transportadora que fizeram as caixas).
    Mas quando cheguei na casa nova, fui eu quem teve que desfazer as caixas e botar tudo no lugar!
    MEU DEUS!
    Quando vi que enchi umas 5 caixas GRANDES de coisas inúteis (roupas, sapatos, bolsas, louças e etc) e que vieram para casa nova à toa, aprendi duas lições:
    1) Estar SEMPRE organizando gavetas e armários, jogando fora ou doando o que não interessar e…
    2) Sempre que comprar alguma roupa ou sapato novo, me desfazer de outro que está guardado.
    Isso têm me ajudado muito.
    Mas SÓ VOU SABER DE VERDADE, quando tiver que me mudar de novo.
    hahahahahahahahahaha
    Espero que não seja em breve!
    hahahahahahahahahahaha
    Beijos
    Te adoro.

  7. Eu consigo sim me desfazer de vpárias coisas, mas meu marido não se desfaz de quase nada. Tudo é na base da negociação! ha ha

    Força aí nessa mudança, não é fácil! Bjs

  8. luciana g disse:

    Lu, tenho passado por momentos assim tb..nunca fui de me desfazer de nada, qdo casei, trouxe tralhas e tralhas pro apto, boneca de qdo eu era criança, e por ai vai… só que o apto q eu fui morar era grandinho e cabia tudo…
    no ano retrasado, saímos do Brasil e fomos morar na Espanha, ae q o bicho pegou, tive q me desfazer de 80% das minhas coisas, doei, joguei fora…mas chorei muito, mas não tinha o q fazer.
    Depois voltamos pro Brasil, hora de largar mais um tanto na Espanha, mais chororô.
    Agora moro num apto pequeno, e sei q daqui a 2 anos vou mudar de novo, pra um menore ainda, isto é, tenho tentado ao máximo não ter muita coisa, me apegar, pq é tragédia anunciada..
    a gente tem q pensar q o importante é nossa felicidade, independente das coisas que temos..
    bjs

  9. Lia disse:

    Nusssssssssss!!!

    Eu tb tenho a maior dificuldade.
    Iguamente a ti roupas até não são problemas..mas…objetos, livros, papeis….são terríveis.

    Mas porque se desfez do elefante?! Não dava para leva-lo!? Ohhh dor! Fiquei triste!

    Beijos!

  10. Lisa disse:

    Lu, isso é uma atrapalhação na nossa vida, eu sei como é difícil juntar coisas desnecessárias… a gente fica juntando somente pelo emocional. Uma vez li que o famoso escritor americano Ernest Hemingway tinha o hábito de todo dia 1o. de cada ano desfazer-se de algo que ele gostasse muito… isso pra provar que ele tinha domínio sobre os objetos e não os objetos sobre ele, o dono. Volta e meia penso nisso e encontro ânimo pra me desfazer de algumas coisas. A gente precisa sim aprender a se desapegar dos objetos e das pessoas tb… é mais saudável viver assim. Força!

  11. Ana disse:

    Lu, eu era igual a você. Mas na minha mudança pro Canadá eu comecei a exercitar o desapego das coisas. Hoje eu não tenho a mínima pena de me desfazer das coisas. Bem, nem tudo, mas a maioria não me dói o coração não, graças a Deus!

    Boa mudança, querida! Tudo de bom em Nice!

  12. Lídia Carla disse:

    Oi Lu,
    Conheci o seu blog através da revista boa forma, na reportagem que falava sobre blogs que fazem sucesso e das mulheres que perderam peso.
    Foi assim que resolvi criar o meu no inicío de novembro.
    Acho que vc já ouviu isso diversas vezes mas saiba que vc é uma inspiração, saber que vc conseguiu dá força pra gente.
    Precisa dizer que sou sua nova seguidora?!
    Ah, eu sou super desapegada adoro doar minhas coisas.
    Mais ou menou uma vez por mês arrumo meu guarda-roupa e vejo o que posso dar para os outros, e sempre que compro roupa nova dou alguma outra pra alguém.
    Minhas tias e minha mãe adoram.
    Recentemente perdi minhas calças tamanho 48,46,e 44 que não servem mais porque perdi 23kg essas então doei com muitoooo amor.
    Beijos!!

  13. Lelei disse:

    Ai Lu, é dose mesmo, eu aprendi com o tempo a me desligar das coisas, e olha tem uma coisa que minha mãe me falou quando eu ficava apegada a objetos. Tem que passar pra frente pra dar abertura a novas coisas, acontecimentos e alegrias na vida.

    Senão fica tudo entupido sem chance pra nada.

    Tenho certeza que alguém que precisa vai achar o elefante e dar muito carinho pra ele :)

  14. Juliana disse:

    Eu tenho uma relação estranha com pertence e doar… pois, vou acumulando as coisas, até que um dia do nada (mais ou menos a cada 6 meses) eu dou um chilique básico que eu tenho muita coisa, e acabo separando de tudo, desde roupas, até jóias, pertences pessoais e afins e dou tudo.

    Em breve, quando chegar a hora da mudança, vou tirar realmente muita coisa, não quero levar quase nada.

    Adoro fazer isso, ajuda todo mundo e ainda abre espaço para coisas novas. Sabe, eu e o Wel temos a mania de comprar alguma coisinha de cada viagem que fazemos. Como eu realmente não gosto de souvenirs muito explícitos (tipo “Lembrança de tal lugar” – eu acho até meio blasé) acabo comprando souvenirs para decoração, uma peça bacana, um vaso, um quadro e sempre um imã de geladeira bem típico e que não precisa falar o nome do lugar aonde visitei.

    Acho que é inerente ao ser humano juntar laços, manter lembranças e isso inclui manter coisas. Poucos são aqueles que não se prendem a nada disso.

    Bjos, Jú

  15. Lisa disse:

    “O Turista Incidental” é um filme que me faz lembrar dos excessos… as tralhas e bagagens que carregamos pela vida afora… me ajudou a pegar o pique pra empacotar um pouco mais de tralha a sair dessa casa.

    • Lu Francesa disse:

      Fui procurar na net por ele, mas é de 1988, encontrar pra ver vai ser difícil :(

      • Lisa disse:

        Tentou DVD? Aliás o título correto acho que é “O Turista Acidental”…

        Amanhã mesmo vou levar uma sacola de roupas e uns cacarecos pra doar… estou lendo “A Cura de Schopenhauer”(La Méthode Schopenhauer), de Irvin Yalom… é outro livro que reafirma a necessidade da gente se desapegar pra ser feliz… O livro é ótimo… psicoterapia de grupo com terapia filosófica.

  16. Paula disse:

    eu já fui de juntar muita coisa sim. Mas como já me mudei mais de 15 vezes aprendi a vez ou outra fazer um rapa em tudo roupas, papelada, cacaricalhos que vamos jubntando ao longo do tempo… enfim, hoje já tenho esses “ataques” periodicamente, meu próximo alvo será meu guarda-roupa já que já passei pela cozinha, porão e sala… depois vem o escritório.
    Depois disso me sinto bem melhor até mais leve! kkkk

    • Lisa disse:

      Paula, minha dificuldade maior é me desfazer da papelada… artigos de revistas, de jornais… livros livros e mais livros… alguns acho que nunca vou ler… há ano e meio me deu “um cinco minutos” por conta de mais uma tralha que meu marido trouxe pra casa… ai que nervo !!! aproveitei o embalo e doei caixas e caixas de livros… noooooossa o pessoal que recebeu os livros ficou boquiaberto… livros acadêmicos alguns até raros… em francês, espanhol… e sabe duma coisa? não me faz falta… o que eu absorvi ao ler, absorvi e pronto… MAS daí empaquei e queria tanto ter outro ataque DAQUELE… rs.. rs…

  17. Cintia disse:

    Nunca me mudei muito mas qdo estava na faculdade e sem carro não podia ter muita coisa, então procurava não comprar muito. Quando mudei pra minha casa mudei de apt pequeno, então a casa estava bem vazia no início mas com a graça de Deus ganhamos muita coisa. Os antigos moradores tinha criança e deixaram muita coisa aqui, então vendemos as coisas deles e fizemos um dinheirinho bom. De vez em quando doo roupas e etc, e a caridade vende, o que é bem legal. Não sou apegada a muitas coisas, mas tento guardar mais fotos, diários, etc.

  18. Ana disse:

    Liliana, eu me desfaço das coisas ciclicamente. É até um exercício de desapego, sabe? Acho que nunca sofri por doar ou jogar fora algo material… Sei que vc deve ter se entristecido de doar seu ursinho-elefante, mas ele fará a alegria de outra pessoa. E cá pra nós, ambiente pequeno entulhado é uó!
    Preciso urgente me desfazer de muitas coisas, pois também moro em lugar pequeno!
    bjs!!!! Buena suerte!!!

  19. leticia disse:

    eu sou a favor do desapego, mas a teoria é uma e a pratica outra! hehehe
    entendo perfeitamente vc até ter chorado pra se desfazer do elefantinho, não é o objeto mas a lembrança e o periodo que ele marcou, né? :(
    é duro mesmo…

  20. Gratuidade disse:

    Conheço gente que é o cúmulo de guardar coisas. Tem gente que guarda revistas das antigas, coisa de 10 anos atrás. E ai de quem se atrever a dá um “toque” nesta pessoa.

  21. Ivete Santos disse:

    Eu doei minhas calças e vestidos num momento de ira. meu Deus que arrependimento, hj desempregada não posso comprar mais as roupas que doei e tenho muito pouca roupa. Infelizmente cometi um ato sem pensar e hoje pago por ele. Estou muito infeliz por isso. Mas fazer o que né, quem fez errado fui eu, ninguém veio atrás pedi. Estou arrasada com minha atitue. BJs a todos

  22. Rosana disse:

    pra mim não é muito dificil se estiver sobrando,guardado,ou sem espaço para expor é melhor doarmos mesmo! vamos nos sentir melhor tenho certeza! ao invés de deixar que se estrague deixamos que outra pessoas que o precise use!! sou do tipo de pessoa que não se apega muito aos bens materias graças a DEUS e acho que a maioria das pessoa devem pensar assim! eu por exemplo vou ter um bebe! estou de 7 meses e ainda não sei do sexo do meu bebe! e neste momento estou precisando que me doem roupinhas unissex!! e ainda não encontrei quem o faça!! vc que tem coisas de bebes sobrando,guardado sem uso agradeceria se me doace!! moro na zona de sintra meu tlm:351-966957686

  23. Ricardo disse:

    gostaria de vender alguma coisa? compro coisas antigas para coleção que estiver interessado entre em contato comigo se algo me interessar podemos negociar

Deixe um comentário